Notícias

Notícias

Gestantes fazem parte do grupo de risco para o COVID-19.

O Ministério da Saúde incluiu grávidas e mulheres puérperas no grupo de risco do novo coronavírus. O órgão federal explicou que essa consideração partiu da análise de como essas mulheres reagiram a doenças respiratórias parecidas com o Covid-19, como H1N1.

De acordo com o MS, as gestantes e puérperas são mais vulneráveis a infecções e, por isso, estão nos grupos de risco do vírus da gripe. Estudos científicos apontam que a fisiopatologia do vírus H1N1 pode apresentar letalidade nesses grupos associados à história clínica de comorbidades dessas mulheres. Sendo assim, para a infecção pelo Covid-19, o risco é semelhante pelos mesmos motivos fisiológicos, embora ainda não tenha estudo específico conclusivo.

Portanto, os cuidados com gestantes e puérperas devem ser rigorosos e contínuos, independente do histórico clínico das pacientes. Ressaltamos que as gestantes e puérperas devem praticar o isolamento social e usar máscaras quando estiverem em contato com outras pessoas.

Mas se eu já estou grávida e com sintomas de gripe. Como proceder?

As gestantes com sintomas de síndromes gripais devem ser classificadas com base nos critérios dos protocolos do Ministério da Saúde, devido a condição atual de transmissão comunitária, e o manejo será realizado conforme as demais síndromes gripais, com zelo em relação aos sinais e sintomas que demonstram gravidade clínica.

Nos serviços de saúde em geral, e, portanto, também na atenção pré-natal e maternidades, deve ser instituída uma triagem de sintomas respiratórios e fatores de risco.

As gestantes que apresentem síndrome gripal, deverão ter seus procedimentos eletivos (consultas e exames de rotina), adiados em 14 dias, e quando necessário, serem atendidas em local isolado das demais pacientes.

Ainda não há confirmação científica que ocorra a transmissão vertical do novo coronavírus. Então, as gestantes devem manter o seu plano de parto inicial, com todos os cuidados indicados pelos órgãos de saúde até o momento de ir para a maternidade. Evite idas desnecessárias ao hospital e quando necessário, use máscara de proteção e mantenha distância de 2 metros de outras pessoas, além de lavar frequentemente as mãos.

FONTE

COVID-19 e Gestantes: Nota Técnica nº 6/2020-COSMU/CGCIVI/DAPES/SAPS/MS

Por Dra. Ingrid Schwach Werneck Britto

Outras Notícias